Movimento Black Power: cabelo crespo como símbolo de luta e representatividade

Movimento Black Power: cabelo crespo como símbolo de luta e representatividade

Muito além da estética, o movimento black power veio para reafirmar o poder, beleza, representatividade e versatilidade do cabelo crespo. Mais do que isso: ele evoca sons, traduz personalidades e promove um espírito de união único. 

Desde a década de 1960, com os movimentos negros estadunidenses a todo vapor, o grito pela afirmação de identidade ficou ainda mais forte: além do direito de ser quem é, a população negra lutava por direitos civis básicos. 

A luta foi extremamente repreendida, mas já ultrapassou gerações e disseminou legados incalculáveis para o mundo, principalmente os que envolvem paz e respeito ao diferente. 

O cabelo afro, então, foi evidenciado por toda a historiologia e beleza que carrega. 

Vem, se acomode e pegue uma pipoquinha. O papo deste artigo está massa! 😊 

O Movimento: do surgimento à disseminação no mundo 

O cantor e produtor Aka Rasta já bem disse, 

“E no meu cabelo tem muita história
Personalidade, e atitude
É incrível (é incrível)

Que roupa eu tô usando não importa
Porque meu cabelo sempre me bota acima do nível

Por onde eu passo deixo a minha marca
Como uma cicatriz
Eu ando inesquecível”.

Contudo, esta história super autêntica foi, por muito tempo, apagada e mantida de lado. Até que um ativista negro chamado Marcus Garvey, inconformado com a imagem eurocêntrica que não o representava, deu o primeiro passo nos anos 20 na Jamaica. Décadas depois, nos anos 60, lá estava ele também impulsionando o movimento dos Estados Unidos. 

Surge então o Panteras Negras, partido político formado pela população afro-americana, cujo objetivo era dar fim às repressões policiais violentas e racistas. Com o lema “black power” (poder negro, em tradução livre), eles lutaram pela autodeterminação do povo negro. 

Ou seja, para que eles pudessem ser quem são, sem precisar esconder suas características e história de origem africana.

Movimento negro em Nova York na década de 70 – Imagem: Super Interessante

Mais para frente, diante à necessidade e o grito da população, tornou-se um partido que combatia toda e qualquer desigualdade e injustiças contra os negros. Martin Luther King e Malcolm X foram grandes nomes desse contexto. 

A população foi se encorajando, criando forças, ficando unida… 

Foi quando as mulheres entraram na luta de maneira mais ferrenha e assumiram posições com mais visibilidade. Foi na figura de Angela Davis que as mulheres passaram a assumir o seu cabelo afro e a tê-lo como símbolo de história, poder e autenticidade.  

Angela Davis durante um de seus discursos em 1960 – Imagem: Afreaka

A afirmação estética, histórica e lutas contra a opressão se estendeu para o campo artístico, ganhando muita presença em estilos musicais consagrados no mundo, como jazz e rock.

Billy Preston, um músico muito admirável, ficou famoso por tocar com o grupo The Beatles e por levar a simbologia e a representatividade do black power para o mundo. 

 

E foi assim, alcançando o mundo, que o Movimento se disseminou e conquistou uma série de adeptos inconformados com a injusta situação. 

Mesmo com a perseguição massiva contra os grupos, que se disseminaram na época, é possível perceber sua relevância até os dias de hoje. Dentre as aspirações, estão: liberdade, acesso à educação de qualidade, fim da brutalidade policial, direito à comida, moradia e, principalmente, paz. 

Black Lives Matter – Manifestações de combate às injustiças sociais e violência policial contra a população negra – Imagem: Vogue

 

A diversidade tem ganhado força: cabelo crespo até nas passarelas

Ser livre para ser quem sou. Este é um dos legados que a geração dos dias de hoje quer deixar ao mundo: ideais de liberdade, de valorização cultural, de afirmação de características afro nunca esteve tão em alta. 

Hoje é possível ver modelos com cabelo crespo natural nas passarelas de moda de Nova York, produtos específicos para cabelos afros, produção de conteúdo em massa ensinando como cuidar melhor dos fios, profissionais especializados, artistas e blogueiros negros estampando capas de revista…

Por mais que o caminho seja longo, já percorremos uma trajetória surpreendente. 

Inclusive, a busca por transição capilar e por saber cuidar do cabelo crespo subiu significativamente durante os últimos tempos: é a tentativa de se reconectar com suas origens e de conhecer o próprio cabelo. 

Toda essa liberdade nos leva ao encontro dos movimentos civis dos anos 60. Sem dúvidas, eles foram os precursores do que vivenciamos hoje. 

 

Cuide e ame o seu crespo: conheça cuidados infalíveis 

Tenha algo em mente: temos uma tendência maior de amar aquilo que cuidamos com carinho. Se você não sabe cuidar muito bem do seu crespo, aí vão dicas para você desenvolver uma relação íntima com ele agora mesmo! 

  • Lave-o corretamente: água fria, toalha de microfibra, massagem no couro cabeludo, shampoo só na raiz e condicionador no comprimento;
  • E não lave todos os dias (duas a três vezes por semana está ótimo)! Os crespos são secos e não podem perder toda a oleosidade natural e nutrientes com o excesso de lavagens;
  • Utilize produtos desenvolvidos para as necessidades de um cabelo crespo (linhas No/Low Poo são ótimas);

  • Um cronograma capilar completo jamais pode ser deixado de lado (principalmente porque fios crespos tendem a ser mais secos);
  • Depois dos cuidados, as finalizações que darão um toque a mais de beleza e elegância;
  • Invista em uma touquinha ou fronha de cetim para dormir sem perder toda a hidratação para o travesseiro;
  • Tenha sempre um borrifador em mãos. Com uma misturinha de água, óleo reparador e creme de pentear, é possível reativar os cachinhos em dias em que você não estiver muito feliz com a textura dele;
  • Não abandone o leave-in (ele protege os fios contra agentes externos, como os danos do sol e poluição);
  • Penteie com carinho e calma. Vá por partes e não tenha pressa. Para pentear, não precisa puxar nem se machucar, ok?
  • Jogue um óleo reparador nas pontinhas para dar um toque aveludado e boa aparência;
  • Se ameeeeeeee!

Desejamos uma relação transformadora! Daqui, já estamos visualizando esse cabelo crespo maravilhoso, cheio de vida, história, representatividade e super bem cuidado! 

É uma delícia quando podemos escolher o que queremos ser, né? 

Ah! Antes de finalizarmos nossa conversa, que tal nos contar nos comentários se gostou do conteúdo? 

 

Com carinho,
Clorofitum. 

Escreva um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *